Baleia – música que colore tardes tristes

um grupo carioca que surpreende por suas letras lindamente arranjadas em misturas, talvez a banda indie revelação de 2014, sim me arrisco e canto essa bola.

já deram pinta no Circo Voador, e agora  seu primeiro disco “Quebra Azul” está disponível pra baixar gratuitamente no site da banda. Gabriel Vaz – integrante da banda – define o estilo cantado como um  “jazz-rock-swing-romantique-cool-cabaret-pop-experimental”.

O Favoritei traz três musicas para um test drive:

A casa

 

Killing Cupids

 

 

 

Jiraya

 

3 single-bells com mensagens divertidas de natal.

Três clipes natalinos espirituosos para este natal. O Favoritei é adepto ao folclore das coisas, acredite no que quiser, não se prenda a discursos que você não tem como checar a validade prática.

Lembre-se:

Ganhar presente é gostoso, sim.

Perdoe alguém, mesmo que hoje seja o típico “dia-pretexto”.

Uva-Passa é uma ofensa a humanidade.

Natal lembra os nossos avós, se você ainda os tem, aproveite.

Coma rabanada com as mãos, lambuze os dedos de açúcar e canela.

Luzes de natal são nostálgicas e nos aquecem.

Você é quem escolhe o seu significado pro Natal, seja ele -em essência- um legado bíblico, ou apenas o ritual de montar uma árvore ou o dia em que sua família está junta.

Lulina – é natal

Pato Fu – Boas festas

Merry Christmas from Tel Aviv

Feliz Noite!

 

 

Filarmônica de Pasargada

untityyled

carência de aperto de metrô.

sambas que se interrompem.

uma fabriquinha de bem-querer.

cantos que nos colocam em rodas-gigantes.

somos vinhetas dentre promessas e confetes.

noite de sábado com cinema.

instrumentos conversam e repercutem.

saudade de balas vermelhas que parecem de vidro.

camisa quadriculada indie com cheiro de amaciante bom.

modinhas de juntar amores.

a menina que canta tem olhar desastrado.

influências saltimbancas.

ela volta gritando Piaf em cor de rosa. tem timbre Gal.

bagunças que misturam flores e joaquins.

chacinas, carnavais e pés prateados.

gostoso como vento de Picape que muda a franja.

domingo – solidão – Faustão – sofás vazios.

A Ana Julia casou e a Monica se separou.

se esquecer das regras de quando o amor não deu certo.

cupidos que acertam em chei-os de graça.

já beberam shampoo e nadaram no Rio Tietê.

eles funkeiam cordeis com gosto de milho de festa junina.

sorrir pro celular.

banda de futuros big bangs em teatros alternativos.

escapatórios.

fiu fiu.

recortam e colam ironias intertextuais.

desleixos e caprichos. revistas.

mais um mais um mais um.

Filarmônica de Pasárgada. axé music sabor citrus.

new love.

vou me embora com vocês.

coisas que eu senti em um show deles, no Centro Ecum.

 

5 músicas onomatopaicas (saiba o que é) pra guardar num potinho.

Músicas onomatopaicas: repare que nelas, além do aspecto instrumental existem barulinhos auxiliares que parecem proclamados por pessoas. da uma conotação fofura de ninar.

Barulinhos = onomatopéias = pum = pluft = pow= tum tum.

Igloo – Karen O and the Kids – achei no filme “Onde vivem os monstros” e na peça “Música pra cortar os pulsos”. linda.

do filme “O menino e o mundo”. trilha de música unica o filme todo.

Musiquinha do curta metragem da Pixar que vem antes do filme “Universidade dos Monstros”. Blue Umbrella.

Tema de Edward – mãos de tesoura. Trilha do filme de Tim Burton composta por Danny Elfman.

Cordeiro de nanã. interpretado pelo cantor Mateus Aleluia e pela “cantriz” Thalma de Freitas. Fez parte da novela “Senhora do destino”.

 

 

 

Show: Baby do Brasil comemorando 60 anos.

baby-do-brafsil

Sesc  Pinheiros. Baby está de roxo, roxa, telúrica, brilhante. Tem atitude e figurino que quase lembram a Emília do sítio.

É o início de sua turnê galática comemorando seus 60 anos. Foi por convencimento. O baby de Baby, Pedro Baby, também músico, convenceu a mãe. Baby parece gente em extinção. Parece estar lá depois de uma longa consulta aos deuses.

Baby tem o jeito carioca, descomplicado, é “sem juízo e sem pecado”, é uma poetiza extraterrestre. Evoca deuses, se afina com seus canais sobrenaturais, com seu Matrix, nos oni-presenteia.

E o público se levanta, vai pra perto do palco, e todos brincam de índio, mãos batendo na boca. O público, devoto, já não é mais gente, é curumim, é marciano.

Crazy Baby faz um show que mais parece um hospício do amor.

Baby é babilônica, parabólica, canta para profetas e prostitutas, canta inclusive para Pepeu. Lembra de quando foram barrados na Disneylandia.

Yes. No. Yes. No. Yes.

Baby é resultado de uma pós-abdução.

Obedece ao divino. É a musa dos ovnis. É diplomata da locura.

É a festa dos elétrons. roxos.

 

 

Show: Thiago Pethit cantando trilhas dos filmes de David Lynch.

untitled

 

O palco parece um piano bar, com cortinas Blue-Velvet . Thiago entra com um sorriso anoitecido e largo dos seus. Está minguante, paira rebelde em sua elegância de anfitrião, faz piadas com um humor de camarim. Nos deseja uma noite surrealista com confiança exotérica, de quem sabe que vai cumprir a promessa da frase. Uma lua e nunca mais. As trilhas dos sonhos-filmes de David Lynch cantadas por Pethit, com rocks melódicos e música do Leblon. Thiago canta com voz penteada e tom de gala. Em sua postura há uma permissão para a impecabilidade, Thiago é trans-genial; estala os dedos pra si enquanto baila só, e isso parece um refluxo vindo de uma eclipse de dentro,  de quem sente o néctar, de quem cobra em Euros. Thiago não se sabe cantor, se sabe artista, e isso faz dele um poeta transgressor; quando canta parece se salvar do mundo, parece  protegido por luzes-tintas que correm e piscam em Le-Cheval por suas canções enquanto ele interpreta cinzas no palco. Thiago tem soltura de marionete e um fogoso bailado pélvico; tem em si a Dama e o Valete do baralho. Thiago vira um personagem, a música vira  filme, é sinestesia em forma de arte com gosto de anis. Nossos olhos já estão em lua cheia, o sonho se acaba, tudo que é bom dura pouco, dura UM SHOW.

10 hits-sorriso que combinam com sábados de sol.

1- Cícero- É Tempo de Pipa

 

 

2- Karina Zeviane- Amor Inventado

 

 

3- Clarice Falcão – Macaé

 

 

4- Tiê – Chá Verde

 

5- Pout Pourri do amor- Repare

 

6- Roberta Sá- mais alguém

 

7- A banda mais bonita da cidade- Oração

 

8- Mallu – Velha & Louca

 

9- Cohen & Marcela – Pra longe

 

10- Marcelo Camelo-Copacabana